Tudo sobre o mundo do rock você encontra aqui

Pesquise sobre seu artista favorito

Pesquise sobre seu estilo de rock favorito.

Pesquise sobre sua banda favorita

Aqui você irá encontrar biografias, curiosidades, enquetes, quiz, tudo sobre o mundo do rock.

A estranha vida e morte de Per Yngve Ohlin

Per “Pelle” Yngve Ohlin aka Dead, mais conhecido como o vocalista do MAYHEM por um curto período, cometeu suicídio no dia 8 de Abril de 1991. Ele também cantou na demo “December Moon”, da banda Sueca MORBID.

Nascido em 8 de Janeiro de 1969, na cidade de Stockholm/Suécia, era considerado uma pessoa estranha e introvertida pelos músicos que tocavam com ele. Hellhammer, baterista do MAYHEM, o descreveu como “uma pessoa muito estranha… depressivo, melancólico e sombrio”. Øystein “Euronymous” Aarseth, guitarrista da banda disse uma vez “honestamente acho que o Dead éera maluco. De que outra forma você pode descrever uma pessoa que não se alimenta só para se machucar? Ou quem tem uma camisa com anúncios de enterros?”

De acordo com Bård “Faust” Eithun, baterista do EMPEROR: “Ele  (Dead) não era uma pessoa que você podia conhecer bem. Eu acho que os caras do MAYHEM não o conheciam muito bem. Era difícil se aproximar dele. Eu o conheci duas semanas antes de ele morrer. Eu encontrei com ele umas 6 ou 8 vezes. Ele tinha muitas idéias estranhas. Eu lembro do Aarseth falando dele, dizendo que ele não tinha senso de humor. Ele tinha, mas era muito obscuro. Honestamente, eu não acho que ele estava gostando da vida nesse mundo.”

Segundo Hellhammer, baterista do MAYHEM, “antes dos shows o Dead costumava enterrar suas roupas para que elas pegassem um ‘cheiro de cova’. Uma vez ele chegou a pedir para nós o enterrassemos – ele queria que sua pele ficasse pálida como a de um cadáver”.

No palco, Dead costumava se cortar com facas de caça ou cacos de vidro. Ele dizia ser fascinado pela reação que isso causava nas pessoas. Em um show em Sarpsborg/Noruega, Dead se  cortou tanto que teve de ser levado ao hospital devido a perda de sangue.

Durante uma turnê ele achou um corvo mortou e o guardou numa jarra. Ele então começou a carregar essa jarra e criou o hábito de cheirar o pássaro putrefato antes de subir no palco, para poder cantar “com o odor da morte em suas narinas”.

Em algum ponto de 1990, o MAYHEM se mudou para uma casa isolada numa floresta em Oslo. Hellhammer afirma que Dead “só ficava sentado no seu quarto e se tornava cada vez mais depressivo” e haviam muitas discussões entre Ohlin e Aarseth.

Em 8 de abril de 1991, Ohlin cometeu suicídio na casa que pertencia a banda. Ele foi encontrado por Aarseth, e havia dado um tiro de espingarda na cabeça e cortado os pulsos. A espingarda supostamente pertencia a Aarseth. O bilhete deixado por Ohlin dizia “Desculpem por todo o sangue” e incluia uma desculpa por ter dado o tiro dentro de casa. Ao invés de chamar a polícia, Aarseth foi a uma loja perto da casa e comprou uma câmera descartável para fotografar o cadáver. Necrobutcher, baixista do MAYHEM, afirmou que “Aarseth estava chocado com o suicídio do Dead e tirar essas fotos era a única maneira que ele teve para lidar com isso”. Uma dessas fotos foi roubada e usada como capa do bootleg “Dawn of the Black Hearts”.

Surgiram rumores que Aarseth teria feito um cozido com pedaços do cérebro de Ohlin e feito cordões com pedaços do crânio dele. A banda confirmou o segundo boato. Aarseth afirma que ele deu os colares a músicos que ele gostava.

Mantenha a fonte ao citar o texto: Em 08/04/1991: Per “Pelle” Yngve Ohlin, aka Dead, comete suicídio http://whiplash.net/materias/diaadia_mortes/087232-mayhem.html#ixzz45K6F25LS
Follow us: @Whiplash_Net on Twitter | Whiplash.Net.Rocksite on Facebook